terça-feira, 3 de março de 2009

(In)fidelidade Partidária

Um dos temas quase banalizados na agenda política do Brasil têm sido a tal "Fidelidade Partidária". Em nosso pluripartidarismo, contamos hoje com 27 partidos políticos registrados no TSE, nem todos com expressão Nacional.

Nesses marcos e com a herança cultural do fisiologismo e da troca de favores tornou-se prática comum também a troca de partidos.

Muitas vezes motivada por razões pouco nobres, como a tentativa de aproximação a núcleos de poder ou a governos, para barganhar cargos ou vantagens, a infidelidade partidária chega a gerar alguns debates quando algum caso ganha espaço na mídia; fora essas ocasiões esporádicas (apesar de não tão incomuns) pouco se trata disso.

Para se ter uma ideia, no TSE, em levantamento de janeiro de 2009, haviam 8595 ações por infidelidade partidária.

Quando se fala disso, em geral as opiniões são de indignação, mas na vida real não é bem assim.

Por exemplo, aqui em Uruguaiana, da última legislatura para a atual, na Câmara Municipal, TODOS os vereadores que trocaram de partido, por diferentes motivos, foram re-eleitos. Aliás, dos 6 re-eleitos, apenas dois não trocaram de partido nos quatro anos anteriores (coisa que já haviam feito em oportunidade anterior) .

Brincando um pouco com isso, proponho um ranking da FIDELIDADE/INFIDELIDADE partidária entre os ocupantes de cadeiras no Legislativo Municipal aqui na Atalaia da Pátria:

No pódium os mais fiéis

1º lugar) Em primeiro lugar coloco Ronnie Mello, jovem vereador em primeiro mandato, participou pela primeira vez das eleições em 2008. Era da "Juventude Progressista" e sempre esteve vinculado ao PP.
Cabe a observação de que seu lema de campanha "Novas ideias, antigos ideais", me assusta.
Não pelas "novas ideias"mas pelos "antigos ideais"; afinal o seu PP de hoje já foi o PPB há poucos anos subtraído do "B", antigamente foi ARENA (dos militares na ditadura) que com a redemocratização virou PDS; quedepois virou PPB e PFL (hoje PP e DEM)!

2º lugar) Do segmento da segurança pública, outro estreante no pleito de 2008 é o vereador do PT José Clemente. Dirigente de entidade de classe, a ABAMF, já ocupou cargos em governos de outros partidos, desempenhando funções atreladas a sua função na área de segurança e trânsito.

3º lugar) Neraí Kauffmann, a ex-coordenadora do Restaurante Popular, foi alçada àcondiçãode surpresa da eleição e hoje é presidente do legislativo municipal. Até onde pude saber sua única filiação partidária é com os tucanos. Neraí segue os passos do marido, Delmar, que já migrou demilitane sindical a vereador peloPMDB, vice-prefeito e Secreta´rio Municipal pelo PSDB e hoje representa bem o "jeito tucano de governar".

E segue o ranking da (In) fidelidade...

4º lugar) Aqui um empate técnico. Kiko Barbará elegeu-se pelo PTB em 2004, foi secretário da Administração Caio Riela(PTB / 2001/04) e no meio da legislatura anterior migrou para o PMDB. Risso, o popular Barbeiro, elegeu-se em 2004 pelo PSDB; por questões de votações fora da linha tucana, acabou expulso do partido, sendo abrigado também pelo PMDB .

6º lugar) Alguém dirá que virou bagunça, que o ranking vai perder a credibilidade. Mas o fato é que empatados na 6ª colocação estão três edis. Já migraram entre partidos, por motivos diferentes, mas mudar entre PFL, PP e PSDB é quase como escolher entre rúcula e radicci: um é um pouco mais amargo que o outro, mas no fundo é tudo a mesma coisa...

Os trÊs são da bancada tucana-felicista. Deixo para @s leitor@s contarem o saldo de gols e desempatarem essa:

Josefina Soares, elegeu-se para o primeiro mandato em 1996 pelo então PPB. De lá prá cá já amargamos 13 anos da radialista na tribuna. Fora os jingles "Quarenta e cinco, seis, sete, oito..." e o "mata pau". "Essa é a Josefina que não vai desafinar"(sic).
Ex-integrante do PFL, partido pelo qual concorreu em algumas eleições, Dr. Tarragô, hoje no PSDB é líder do governo Felice na Câmara.
Outro estreante nesta legislatura é Rafael ALves, já foi do PPB e da "Juventude Progressista".
Esses três, pela "coerência" dos movimentos estão empatados!

9º lugar) Esse aqui é para Mauro BRUM . Num ranking às avessas, começando pelo "menos" fiel, estaria no pódium. Eleito em 2000 pelo PMDB, teve passagem pelo Governo Caio como Secretário de Obras (se não me falha a memória filiou-se ao PTB por algum tempo). Pelo PL, formando a base do Governo Lula, elegeu-se em 2004. Apósalgum tempo sem partido" voltou ao PMDB, e está na Casa para mais quatro anos .

Agora sim, o bicho pega!

10º) Essa é a posição do folclórico verador Adalberto SIlva. Dizem que já prometeu até a emancipação da Barragem!
Hoje, de volta ao legislativo municipal pelo PP, acumula o "mérito" de disputar cada eleição por um partido diferente : pelo PDT em 1996, pelo PPB em 2000, pelo PTB em 2004 e pelo PP em 2008.
Com a coincidência que desde 200o sempre disputa a eleição ao lado do Prefeito da época. Em 2000 o prefeito que tentou a reeleição era Bonotto, pelo PPB. Em 2004, Caio tentava a reeleição pelo PTB e em 2008 Felice foi reeleito com o apoio do PP. Quer dizer: em time que tá ganhando... é aí que eu quero jogar!

11º) Pelo movimento diametral que fez, o vereador Rogério de Moraes conquistou esta posição. DEpois de quatro disputas (92, 96, 2000, 2004) e duas eleições (2000 e 2004) pelo PT, Rogério foi parar no PSDB.
Com um desligamento traumático do PT, partido do qual foi expulso pela acusação de ter feito campanha para outro candidato a prefeito que não o petista Raul Tavares (2004), está hoje plenamente ajustado no PSDB, ocupa a 1ª Secretaria da Mesa Diretora.

Bueno! Se até mesmo Raul Seixas preferia ser "essa metamorfose ambulante" que que tem mdar de partido de vez em quando???

Ahhh..vamos se respeitar

Um comentário:

Maria Lourdes disse...

GOSTEI MUITO DESTE RANKING. É PRECISO DIVULGÁ-LO! PRECISAMOS CONSTRUIR UM PROCESSO DE DIVULGAÇÃO E INFORMAR MELHOR NOSSOS ELEITORES SOBRE AS PESSOAS QUE ELES ESTÃO ESCOLHENDO PARA REPRESENTÁ-LOS.