segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Algo errado na água...

Assim como a passagem de argentinos e as escaldantes tardes de sol, uma outra marca do verão uruguaianense têm sido a presença das cianofíceas na água.
No mínimo desde 2002, nos períodos de déficit hídrico (que nome legal e sofisticado para "seca" e "estiagem"!??!), as algas azuis entram em nossas casas e mudam o odor e o sabor da nossa água; sem falar nas disfunções gastrointestinais atribuidas ao"gosto da água".
Mas e não é que essas vilãzinhas azuladas voltaram? E viraram parâmetro para atestar a qualidade do nosso serviço de água.
Apesar do desconforto com a presença delas em nossas torneiras e chuveiros é preciso esclarecer: a CORSAN não possui um criatório de algas, não às mantém em cativeiro e nem aplica algas ao tratamento da água. É preciso dizer isso porque do jeito que falam, às vezes, parece que é isso mesmo!

ALGUMAS VERDADES
As algas azuis são mesmo nocivas à saúde.
Suas neurotoxinas e hepatotoxinas atingem o sistema nervoso e podem causar os seguintes sintomas: irritação na pele, olhos, ouvidos, lábios, garganta, náuseas e vômitos; e em casos de maior exposição ou sensibilidade; hepatite, dormência e paralisia nas extremidades do corpo.
Segundo técnicos da área de saúde, nos níveis que encontramos algas na água após o tratamento e desinfecção da mesma, o risco de contaminação énulo.

Mas porquê tem ocorrido a proliferação sazonal desses microorganismos?
Em períodos de seca e com o afluxo de esgoto não tratado e fertilizantes residuais das lavouras ao longo do Rio, as cianobactérias fazem a festa.
Produtos como a uréia, presente nos agrotóxicos e defensivos agrícolas, funcionam como ração para as algas. (para saber mais sobre algas em geral, além do bom e velho Google, clique aqui).
Nestes períodos de proliferação, a água bruta do Rio Uruguai que é uma das melhores do estado, chega a ter 4 mil células de algas por ml de água coletado (!!!). O procedimento de purificação realizado então pela Estação de Tratamento em Uruguaiana reduz essa quantia para algo entre 2 e 4 células por ml de água. Utiliza-se para isso a aplicação de carvão ativado, o que aumenta o custo do processo de tratamento em até 3 vezes. Esse valor só nãoé repassado parta a conta do usuário pela política de compensação e subsídios internos da CORSAN (empresa pública)*.

E ISSO TEM JEITO?
Conforme o chefe do IBAMA, em Uruguaiana, Maurício Vieira de Souza, os fatores que contribuem para a aproliferação das algas azuis são o déficit hídrico,as águas das lavouras ricas em nitrogênio e os dejetos sanitários não tratados. "No mundo, não há solução técnica disponível para o problema de proliferação de algas azuis".(leia nota de reunião na Câmara)
Ao longo de 2008 algumas reuniões e audiências Públicas começaram a debater sobre o assunto.
Com a presença e envolvimento do IBAMA, CORSAN, Ministério Público, Ministério da Saúde, Prefeitura , Câmara Municipal e a população, em linhas gerais, apontou-se como possíveis encaminahmentos:
- gestão integrada dos recursos hídricos através dos comitês de bacia;
- política de Saneamento para a Bacia do Rio Uruguai, acessando, inclusive recursos do PAC;
- ações conjuntas entre Poder Público e produtores rurais no sentido de fiscalizar o uso, as quantidades, a composição e o escoamento adeqüado dos fertilizantes nas lavouras.

CURIOSIDADE
Alarmados pelas algas,técnicos do serviço de abastecimento de água em paso de los Libres, na Argentina, acorreram à Uruguaiana em busca de infromações.
Aqui e lá são coletadas as mesmas águas, do mesmorio. A diferença é que o tratamento feito aqui, reduz-se para 3 ou 4 células de alga / ml d eágua; já na vizinha paso de los Libres a redução alcança de 1000 a 1200 células por ml de água (!) Imagina o gosto dessa água??? haja paciência...
Orientados pelos técnicos daqui a usarem maiores quantidades de carvão ativado,os técnicos argentinos disseram: "Não podemos aumentar pois isso aumenta os custos do tratamento e,por consequência, afeta os lucros da empresa."**

Uma outra curiosidade, apesar de também serem conhecidas com algas azuis, apenas metade das espécies de cianobactérias apresentam cor azul-esverdeada. O Mar Vermelho recebe este nome, pois, em sua superfície são visíveis enormes concentrações de algas azuis... vermelhas!


EM TEMPO:
* No Pl 006 consta a possibilidade de aumento nas tarifas em casos que não estejam ao controle da concessionária (só um lembrete).

**Em Paso de los Libres a gestão do uso da água é feita pela iniciativa privada.

Um comentário:

rôsilva disse...

a população uruguaianense não conscientizou-se (ou delegou seu direito de pensar a terceiros)deixando que pessoas sem conhecimento algum conduza essa decisão sobre a água,blogs como este nos esclarecem dando-nos base para qualificar ainda mais o debate sobre o tema..bjs